Estávamos contanto como próxima viagem, a ida a Disney em Janeiro.

Ocorre que nesse intermédio, surgiu o feriado de 7 de Setembro. E para piorar (ou melhorar, não sei!!!) a situação, aqui em Vitória-ES no dia 08 de Setembro tb será feriado. Trata-se do Aniversário de Vitória (458 anos).

Assim teremos um feriado longo, de Sábado a Quarta e resolvemos cair na estrada!

Escolhemos a cidade de PARATY no sul do Rio de Janeiro. Ainda não conhecemos a cidade e sempre tivemos esse interesse.

A cidade é um dos destinos turísticos mais procurados do Brasil. As opções de acomodações (hotéis e pousadas) são tantas que acabam dificultando a escolha para aqueles que lá nunca foram, como no nosso caso.

Em seu conhecido Centro Histórico, ainda se encontra um conjunto de casario colonial muito bem conservado.

Pelas ruas de pedra irregular circulam a pé – a entrada de veículos é proibida – turistas do mundo inteiro, atraídos pela beleza da arquitetura típica do Brasil Colônia. As casas históricas foram requalificadas como pousadas, restaurantes, lojas e museus, em meio a apresentações de músicos populares.

Lugares de interesse:

  • Chafariz do Pedreira – à entrada da cidade, em mármore, foi iniciado em 1851 e inaugurado em 1853 pelo Conselheiro Luis Pedreira do Couto Ferraz, então presidente da Província do Rio de Janeiro, que na ocasião bebeu, em copo de ouro, as suas primeiras águas.

  • Antiga Cadeia Pública – atualmente sedia a Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes do município e o Instituto Histórico e Artístico de Paraty.

  • Igreja de Santa Rita de Cássia

  • Rua do Fogo – é uma das poucas ruas da cidade que conservam o seu primitivo nome. Comunica um dos vértices do largo de Santa Rita à rua Maria Jácome de Melo.

  • Rua Dona Geralda – Geralda Maria da Silva nasceu em Paraty em 1807. Benemérita, herdou de seu pai grande fortuna, que a lenda local associa à descoberta de um tesouro de piratas.

  • Rua Nova da Praia – comunica o Mercado do Peixe à beira do rio Perequê-açu. Em determinadas luas é inundada pelas águas da maré-alta, que refletem o seu casario, espetáculo que atrai a atenção dos turistas.

  • Rua Fresca – outrora denominada de rua das Dores, rua Alegre e rua do Mar, nela se destaca o sobrado dos Orleans e Bragança, próximo à Igreja das Dores.

  • Igreja de Nossa Senhora das Dores.

  • Praça do Imperador

  • Igreja de Nossa Senhora dos Remédios

  • Forte Defensor Perpétuo e Casa da Pólvora – o forte abriga o Centro de Artes e Tradições Populares de Paraty.

  • Capela da Generosa – localiza-se no beco do Propósito, à margem do rio Perequê-açu, onde morreu afogado Teodoro, um ex-escravo liberto, que ali se atreveu a pescar em uma Sexta-Feira Santa. Em memória do fato, uma senhora de nome Maria Generosa, aí fez erguer a capela, sob a invocação da Santa Cruz, que recebeu o nome da benfeitora.

  • Igreja de Nossa Senhora do Rosário e Prefeitura

  • Oratório de Santa Cruz das Almas – também conhecido como de Santa Cruz dos Enforcados, localiza-se no antigo caminho para o pelourinho.

  • Engenho da Murycana

  • Engenho da Boa Vista – onde residiram os avós de Heinrich e Thomas Mann. O antigo engenho a vapor adquiriu fama por suas aguardentes, como a Azulina, produzida em alambique de barro e destilada com folhas de tangerina.

  • Engenho do Bom Retiro – em 1908 a sua aguardente recebeu medalha de ouro na Exposição Nacional no Rio de Janeiro.

Os pontos acima traduzem só um pouco do que é Paraty. Existem inúmeras atividades que se listadas aqui ocupariam quase todo o blog. Passeios de Escuna pela Ilha de Trindade, Cachoeiras na Serra da Bocaina, Rota do Ouro da Estrada Real e por ai vai…
Mapa do Centro Histórico:
Anúncios